quinta-feira , 22 junho 2017
Home / Bruxaria / Um explicação para o real poder da Bruxa

Um explicação para o real poder da Bruxa

Há aquele velho ditado que diz “A Bruxa de verdade não pode ser feita, ela nasce bruxa!” – Uma das crenças mais fortes para dar fundamento a isso, vem da ideia de que as Bruxas são na realidade, filhos e filhas de anjos com humanas comuns.

Dizem que no principio do principio, os Anjos se recusaram a adorar o homem, os anjos se recusaram a reverenciar o homem como algo superior a eles – embora Deus os tenha criado superiores aos anjos, embora cheios de limitações, algo como um experimento, que ouso dizer: ser a forma de Deus caminhar sobre a terra e ter folga de suas responsabilidades como o supremo ser de todas as coisas, ou seja, uma forma de Deus ter uma vivência humana, sem saber que ele é ele -, ao caíram na terra por suas desobediências, os anjos se apaixonaram pelas filhas dos Homens, e com elas tiveram filhas e filhos, e a elas – suas esposas – ensinaram sobre magia, adivinhação, agricultura, feitiçaria, maquiagem, arte da forja, e enumeras outras artes, algumas inclusive que foram esquecidas, enterradas pelo tempo… quando o supremo criador notou que tal coisa havia ocorrido, ele lançou sob a terra um grande diluvio, que deveria eliminar toda a raça humana. 
Mas para onde iria todas as almas que nasceram da simbiose de seres divinos e seres de barro – os homens -, elas (as almas), passaram a nascer como filhos e filhas de outros homens que vieram depois, com o seu poder intocado, como parte delas… seu poder e sua alma, ou melhor sua natureza, era algo totalmente único – metade Deuses, metade homens, metade anjos. Um tanto diferente dos homens comuns, que eram apenas homens e metade Deuses (casa do espirito supremo – onde ele vinha pra ter suas experiências humanas).
As bruxas que eram metade anjos, metade deus, metade homem, tinha essa habilidade de absorver conhecimento, o que enriqueciam seus espíritos, almas antigas, com o tempo, tão antigas quanto o tempo, mas pela limitação do corpo, esqueciam tudo ao nascer – mas seu poder estava lá, encerrado dentro de seus corpos, e a cada nascer e morrer, aprendiam mais e mais sobre os mistérios dos céus e da terra, sem nunca diluir o sangue espiritual de seus ancestrais angelicais.
Mas essa é uma das lendas, um dos mitos, cabe você acreditar ou não…

Os títulos que seu sangue carrega

Partindo do principio de que sim, as Bruxas sejam partes “Deus” e parte Anjos, que tiveram a sorte ou azar de ganhar corpos humanos, e a partir de suas vivencias, absorver conhecimento e poder magico, enclausurando esse em seu sangue espiritual, podemos explicar o motivo de várias delas e deles – ser bruxo ou bruxa não é uma qualidade apenas do homem ou da mulher, mas de ambos -, terem certas habilidades únicas e incomuns.
Algumas bruxas tem poder de perceber o que outras pessoas pensam, são chamadas de telepatas, pois possuem a capacidade extra-sensorial de sentir ou ter sensações que fazem com que essas saibam o que se passa com tais pessoas.
Outras bruxas, possuem o dom de ler as coisas, apenas tocando-as com parte do corpo ou segurando com suas mãos, chamamos essa forma de psicometria.
há aquelas que são clarividentes, são ditas “as bruxas que sabem”, pois tem o dom de saber, saber através do seu querer, seja saber algo sobre uma pessoa, objeto, local… sem ter estudado sobre ele, ou ter obtido conhecimento sobre ele através de métodos comuns, ou mesmo utilizando a telepatia.
Outras bruxas tem a capacidade de precognição, que é: obter impressões do que esta por vir, seja de um local, uma pessoa, ou evento da natureza.
Nem todas as bruxas possuem todas as habilidades ou capacidades, algumas possuem habilidades mais aflorados que outras, algumas possuem maior habilidade que outra, algumas possuem habilidades simples e complexos…
A partir de agora, irei chamar essas habilidades de “dons” ou “o algo a mais”. 
Nem todas as bruxas possuem “o algo a mais”, algumas delas por exemplo, não nasceram com a capacidade de usar seus poderes intrínsecos – não nessa vida, pode ser que na próxima elas venham com essa capacidade “liberada”, portanto, muitas bruxas, compram produtos e suplementos espirituais de outras bruxas e bruxos, para realizar o que precisam, pois a magia responde a magia.
Existem outras capacidades no sangue da bruxa, algumas capacidades que são passados de pai para filho, através do barro (o corpo físico), são dons simples, que remetem a carne, e ao sangue físico, como a capacidade de benzimento, que não necessariamente nasce no próximo da linhagem, podendo pular uma ou outra geração – exemplo: o avô é benzedeiro, a filha dele não é, mais o filho nasce benzedeiro também.
A forma de identificar o dom é o desejo por ele, o desejo de aprender ou melhor, reaprender para desenvolver.
Algumas pessoas recebem o dom muitas gerações a frente, nesses casos, tais pessoas não sabem identificar de onde vem, assim, muitas delas dizem que apenas desenvolveram. Mas isso de alguma forma é impossível, afinal, se fosse assim, laranjeiras dariam maças, e pereiras dariam pêssegos.
A forma mais fácil de identificar a origem dos seus dons é, sabendo em primeiro momento quais dons você tem, e como um detetive, tentar traçar a ascendência dele.
Dons que vem através do sangue são aqueles que tem a ver ou se ligam a cognição.
Dons que vem através do corpo, de uma geração a outra, são aqueles que tem a ver com habilidades de cunho corporal, como benzimento, curandeirismo, ou habilidades manuais, que não requerem um conhecimento “cognitivo” para ser executados, apenas habilidade física.

Nota: esse texto é parte do livro “Conjure o poder da voz no Hoodoo – Conjuras, Feitiços e Símbolos dessa e de outras terras” em estado de finalização.

Por Kefron Primeiro.

Compartilhe essa publicação com seus amigos...

Comentarios

Comente...

Veja também

Um Esbá para Hécate

Ganhei esse ritual a algum tempo atrás, deixo de herança para vocês… copie para o …

Deixe uma resposta

Compartilhe!!!
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.