quarta-feira , 18 julho 2018
Home / Hoodoo / Conjure – O Trabalho com Espíritos, Divindades, Santos… (Parte 02)

Conjure – O Trabalho com Espíritos, Divindades, Santos… (Parte 02)

Leia a primeira parte desse texto aqui: http://bit.ly/1sYuHa3

Os Mortos.

É bem comum ver Conjures e Rootworkers trabalhando com espíritos dos mortos, geralmente espíritos de famílias mortos, familiares esses ligados ao conjure ou ao rootworker pelo sangue. (o Sangue sempre responde ao chamado do Sangue).

Acreditamos que os antepassados morrem em vida mas continuam suas vidas em outro plano, um plano muito próximo ao nosso, onde eles podem nos auxiliar – por isso das oferendas (comidas, velas, incensos de raízes e velas) para pode dar força a ligação entre esse plano e o outro.

O Conjure ou o Rootworker vai em busca da sepultura dos seus mortos, e vai em busca da historia deles, inclusive como ele ou ela morreu.

Em alguns caso, recolhesse a terra dessa sepultura deixando outra no local, geralmente substituísse a terra. Por exemplo, leva um jarro de flores, remove a terra, coloca-se a planta com a terra que levou para o cemitério e leva a terra que retirou do local (uma troca de terras). Porém é necessário obter permissão do dono do cemitério (o espirito do local) e do dono da sepultura – geralmente pagasse com algumas moedas) mas nunca, nunca levamos areia de cemitério pra casa, sempre a trabalhamos por último, em algum lugar pré-determinado, por exemplo, você irá fazer um saco mojo – coloque tudo dentro do saquinho e já o leve pronto para o cemitério ou encruzilhada, praia… e acrescente a terra, embebede com o liquido que dará vida ao mojo e deixe-o onde é pra ser deixado.

Obs.: Não sei como funcionam as leis no Brasil para o uso desse tipo de material, mas não recomendo seu uso, a não ser que seja em último, dos últimos casos – sabe porque? se pra você já é difícil absorver uma cultura nova, que trabalha com elementos novos, imagina a quantidades de leis espirituais que você terá que aprender… então evite a fadiga.

Praticantes de Hoodoo geralmente tem em casa um altar para os antepassados, onde ali coloca suas oferendas (tudo aquilo que em vida o morto gostava) ou oferendas tradicionais (segundo os europeus) maças e vinhos (segundo os italianos) azeite, fava e leite, (segundo raízes africanas) incensos de raízes e ervas, penas, animais mortos, e em alguns casos (muito raro em hoodoo) sangue (claro, partindo da premissa de suas crenças pessoais).

Lembre-se sempre, você não adora um antepassado, você o respeita e o tem como um auxiliar (ele te auxiliar porque você está vivo – vocês trabalham conjunto para manter a energia de ligação familiar, que penso eu ser importante pela evolução espiritual de sua família ).

Pode ser que você durante sua vida como Conjure ou Rootworker queira trabalhar com outros mortos que não os seus, pode? pode! mas você tem que saber se esse morto que não é da sua linhagem de sangue irá trabalhar pra ti, caso não haja acordo com o espirito (sempre existe um sinal) tente um acordo para usar a terra da sua sepultura, assim as influencias (da vida e morte) te serão uteis ou não.

Entidades, Deidades e Divindades.

Como o Hoodoo é baseado em crenças e práticas religiosas – mas exclui totalmente os dogmas das religiões -, e carrega em si varias tradições, não importa qual a região do praticante.

Você verá muitos Conjures e Rootworks, trabalhando com práticas de conjurar, e elas ele irá incluir a veneração dos antepassados – pedindo as vezes que os mortos trabalhem pra si, ou trabalhos em encruzilhadas com a ajuda do diabo, pedindo favores a santos poderosos, benção e maldições em nomes de divindades, deidades e afinas…

Sempre existe um envolvimento de altar – é por isso que muitos tem um Altar base, um altar único de trabalho, onde ali não pertence a nenhum deus, divindade ou espirito – porque é no altar que voltamos a petição para eles, é lá que fazemos as orações, oferendas (etc.).

Mas antes de sair por ai pensando que vai trabalhar com qualquer “Entidades, Deidades e Divindades” saiba ao menos com que “Entidades, Deidades e Divindades” você irá trabalhar, isso é sua história, suas afinidades, atributos, cores, pedras, incensos… respeite sempre (eu disse sempre, sua cultura e suas raízes, falamos aqui de uma energia e uma egregora por trás, que as vezes tem muitos e muitos anos de culto.)

A divindade Ganesha por exemplo é conhecido por ser removedor de obstáculos, por abrir caminhos, posso fazer uma petição voltado a essa divindade com o intuído de descruzamento (uncrossing).

Outros.

Você como Conjure ou Rootworker pode também trabalhar com outros tipos de espíritos e acredite, sempre irá trabalhar mas com esses tipos de espirito do que com qualquer um já mencionado.

Por exemplo:
– Espíritos familiares (anjos, daimons, gênios, santo tutelar…)

– Espirito de plantas (ervas, raízes, arvores…), animais (de animais vivos ou mortos) as bruxas são conhecidas por sempre ter um espirito familiar perto – um gato, um sapo, um pássaro… e minerais (toda a vastidão de cúrios).

—-

Caso você queira fazer um Curso de Hoodoo comigo, entre em contato: conjurebr@icloud.com

Curso-corte

Que haja benção e Maldição na jornada.

Kefron Primeiro

Compartilhe essa publicação com seus amigos...

Comentarios

Comente...

Veja também

Workshop de Hoodoo – São Paulo /Julho 2018

ATENÇÃO: é importante que você entre em contato com a LU, pois não sei quantas …

Deixe uma resposta

Compartilhe!!!
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.